Notícias

6 horas F400 Featured

Capítulo I – INTRODUÇÃO

 

Art. 1o - O Clube Brasiliense de Pilotos de Kart - CBKART, realizará no dia 01 de dezembro de 2018 a prova 6Horas de Kart de Brasília nos termos deste Regulamento.

 

Art. 2o - O presente Regulamento obedecerá às normas do Código Desportivo Internacional - CDI/FIA, Código Desportivo do Automobilismo – CDA/CBA e do Regulamento Nacional de Kart –RNK/CBA 2018.

 

2.1 - Este regulamento, e seus adendos, têm força de Lei Desportiva, em conformidade com  os princípios estabelecidos pela legislação nacional.

 

2.2 - Os Adendos Desportivos ou os considerados de segurança entram em vigor, a partir da data determinada nos mesmos.

 

Capítulo II - DA ORGANIZAÇÃO


Art. 3o - A prova 6 Horas de Kart de Brasília, edição de 2018, será organizada pelo Clube CBKART - Clube Brasiliense de Pilotos de Kart.

 

Art. 4o - As entidades envolvidas na prova, doravante serão assim denominadas:

 

a) Federação Internacional de Automobilismo – FIA;

b) Confederação Brasileira de Automobilismo – CBA;

c) Federação de Automobilismo do Distrito Federal – FADF;

d) Federação de Automobilismo – FAU;

e) Regulamento Nacional de Kart – RNK;

f) Kart Racing Clube de Brasília – KRC;

 

 

Capítulo III - DAS INSCRIÇÕES

 

Art. 5o - Às inscrições serão efetuadas por equipe com no mínimo 2 (dois) pilotos, e poderão ser efetuadas na Administração do Kartódromo Waltinho Ferrari (Ferrari Kart) Sala 03, localizada no Autódromo de Brasília, com o pagamento total de R$ 4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais), a partir de 01 de julho de 2018 até o dia 31 de outubro de 2018.

 

5.1 - A partir do dia 1 de novembro, o valor da inscrição passará a corresponder a quantia eR$ 5.000,00 (cinco mil reais).

 

5.2 - Será oferecido um valor promocional para aqueles que fizerem a inscrição entre o dia 01de julho de 2018 a 30 de julho de 2018. O valor cobrado será R$ 4.000 (quatro mil reais) incluindo dois jogos de pneus selo vermelho. Esse valor poderá ser parcelado em até 4x no cheque. Essas condições serão apenas para as equipes que se inscreverem no mês de julho de 2018.

 

5.3 - Para fins deste regulamento entende-se por equipe os pilotos que competirão com um mesmo kart.

 

5.4 - No valor da inscrição está incluso o combustível para treino classificatório e prova e dois jogos de pneus pra pista seca com selo vermelho.

 

5.5 - Número mínimo para realização da prova: 20 (vinte) equipes pagantes.

 

5.6 - Somente será efetivada a inscrição após a liquidação do valor pago.

 

5.7 - As inscrições se encerram no dia 30 de novembro de 2018.

 

5.8 - Somente serão aceitas inscrições após a data acima estabelecida, com a aprovação dos comissários desportivos designados para a prova.

 

5.9 - Ao efetuar a inscrição, todos os integrantes da equipe concordam e aceitam
integralmente os termos do presente regulamento, não cabendo reclamação ou recurso
quanto ao mesmo.

5.10 - O valor total da inscrição poderá ser parcelado. Porém, o valor da parcela final deverá ser quitado até o dia 30 de novembro.

 

Capítulo IV - DA PARTICIPAÇÃO

 

Art. 6o - A participação nas 6 Horas de Kart de Brasília estará limitada aos pilotos portadores de Cédula Desportiva da CBA, na modalidade kart nas seguintes graduações: PJMK; PJK; PK; PGK; PSKA; PSKB; PGC-B; PGC-A; e Licença Master, com validade para 2018 ou 2019, independentemente da FAU a que estiver filiado.

 

6.1 - Somente poderão participar das atividades previstas no Programa Horário da Prova, os pilotos devidamente inscritos e filiados.

 

6.2 - A participação em qualquer das atividades previstas no Programa Horário da Prova de piloto que não estiver devidamente inscrito, acarretará a exclusão da equipe.

 

6.3 - Cada kart poderá contar apenas com a participação de apenas um piloto PJMK ou PJK.

 

6.4 - Os Times serão compostos por no mínimo 2 (dois) pilotos.

 

6.5 - O descumprimento do item acima implicará na exclusão ou desclassificação da equipe infratora.

 

6.6 - Serão aceitas alterações com a troca de pilotos entre Times, somente até o dia 30 de novembro de 2018.

 

6.7 - Após o dia 30 de novembro, qualquer alteração implicará no pagamento de uma taxa de R$ 100,00 (cem reais) por alteração.

 

 

Capítulo V - DA PREMIAÇÃO

 

Art. 7o - Serão distribuídos ao final da prova, 4 (quatro) troféus para cada equipe até a quinta posição.

 

Capítulo VI - DO LOCAL, DATA E HORÁRIO

 

Art. 8o - A prova será realizada no dia 01 de dezembro de 2018 no Kartódromo Waltinho Ferrari, localizado no Autódromo Internacional de Brasília, com largada prevista para as 15h (quinze) horas com duração de 6 (seis) horas mais duas voltas, cujo programa horário será divulgado por Adendo ao presente regulamento.

 

Capítulo VII – DA PROGRAMAÇÃO

 

28 e 29 de novembro

HORÁRIO

DESCRIÇÃO

09h às 17h30

Treino Livre

30 de novembro

HORÁRIO

DESCRIÇÃO

09h às 14h

Treino Livre

19h

Briefing

01 de dezembro

HORÁRIO

DESCRIÇÃO

07h às 08h30

Sorteio dos motores

09h às 09h30

1º Warm-up

10h às 10h30

2º Warm-up

11h às 12h

Abastecimento

12h15 às 12h30

Tomada de Tempo (1ª sessão)

14h

Tomada de Tempo (2ª sessão)

14h40

Montagem do Grid de Largada

15h

Largada

21h

Encerramento

21h30

Premiação

 

 

 

Capítulo VIII - DA TOMADA DE TEMPO


Art. 9º - Observadas as disposições contidas no RNK, a Tomada de Tempo será realizada em 2 sessões.

 

a) 1ª sessão com duração de 10 (dez) minutos e participação de todas as equipes inscritas.

 

b) A 2ª sessão com as 7 equipes mais rápidas na 1ª sessão.

 

9.1.1 – A segunda sessão será realizada em após a pesagem obrigatória prevista no item 24.3 deste Regulamento, sendo da seguinte forma:

 

9.1.1.1 – A 1ª equipe mais rápida sairá primeiro para realizar uma "volta lançada", logo em seguida a 2ª equipe mais rápida e assim por diante até que se encerre o ciclo, devendo, obrigatoriamente, o piloto que participou da 1ª sessão realizar a volta lançada na 2ª sessão.

 

9.1.2- A volta lançada será aberta em movimento onde o piloto sairá do parque fechado até a abertura da volta na fita de cronometragem

 

9.2 - Na hipótese de uma fase da Tomada de Tempo ocorrer com pista seca e outra com pista molhada, a definição do Grid de Largada será feita pela ordem dos melhores tempos, sem distinção quanto ao estado de pista (seca ou molhada).

 

9.3 - Somente um dos pilotos do Time poderá participar da Tomada de Tempo.

 

9.4 - Durante a Tomada de Tempo os karts não terão acesso aos boxes.

 

9.5 - Antes ou durante a 1ª sessão da tomada de tempo não serão permitidos reparos mecânicos e nem calibragem de pneus. Na 2ª sessão, será permitida a calibragem dos pneus em parque fechado.

 

9.6 - Ao final da Tomada de Tempo os pilotos deverão ser pesados junto com seus respectivos karts.

 

9.7 - O descumprimento das regras acima implicará na desclassificação do kart da Tomada de Tempo, fazendo com que o kart largue nas últimas posições.

 

9.8 - O critério para definição de largada dos pilotos que não participarem da Tomada de Tempo ou que tenham sido desclassificados da mesma será o previsto através de sorteio.

 

9.9 - Após a Tomada de Tempo será permitida calibragem dos pneus, lubrificação da corrente e ajuste no lastro.

 

Capítulo IX - DO BRIEFING

 

Art. 10o - É obrigatória a participação de pelo menos um responsável por cada equipe no "Briefing"que será realizado com o Diretor de Prova e Comissários Desportivos, conforme Capítulo VII, na sala de vídeo do Kartódromo Waltinho Ferrari (Ferrari Kart).

 

10.1 - O não comparecimento ao "Briefing" sujeitará o concorrente às penalizações previstasno CDA.

 

Capítulo X - DA LARGADA

 

Art. 11o - O Grid de Largada será no estilo Le Mans.

 

11.1 - Não será obrigatório que o piloto que participou da Tomada de Tempo conduza o kart da equipe na largada, sendo nesse caso, permitida a substituição do lastro, com a finalidade do kart se enquadrar no peso mínimo estabelecido.

 

11.2 - Após a saída dos karts do Parque Fechado, o kart que retornar aos boxes ficará impedido de voltar à pista até que seja dada a largada da prova, e de lá largará quando o Diretor da Prova autorizar, sempre após a passagem do último kart do pelotão pela saída dos boxes.

 

11.3 - O piloto que não deixar o Parque Fechado dentro do horário estabelecido deverá largar dos boxes após o início da prova, quando o Diretor da Prova autorizar, sempre após a passagem do último kart do pelotão pela saída dos boxes.

 

11.4 - É proibida qualquer manutenção de desempenho no Grid de Largada.

 

11.4.1 - Caso seja necessária alguma manutenção, o kart deverá ser recolhido aos boxes,
após autorização da Direção de Prova.

 

11.4.2 - Na situação acima o kart deverá largar dos boxes após o início da prova, quando o Diretor da Prova autorizar, sempre após a passagem do último kart do pelotão pela saída dos boxes.

 

Capítulo XI - DA IDENTIFICAÇÃO

 

Art. 12o - Será obrigatória a utilização de numeração de identificação.

 

12.1 - Os números serão reservados no ato da inscrição.

 

12.2 - O número do kart só poderá ser mudado, mediante requerimento aos Comissários
Desportivos e somente será autorizado se não causar transtorno à Organização.

 

12.3 - Será obrigatória a colocação de pelo menos 1 (um) adesivo do Patrocinador do evento caso esse exista.

 

Capítulo XII - DA IDUMENTÁRIA

 

Art. 13o - Será obrigatório nos Treinos, Tomada de Tempo e Prova o uso da indumentária completa prevista no RNK e CDA.

 

Capítulo XIII - DOS MECÂNICOS E SEUS AUXILIARES

 

Art. 14o - Os mecânicos e seus auxiliares deverão permanecer, obrigatoriamente, dentro das áreas demarcadas pela Direção de Prova, só podendo entrar na pista quando autorizados.

 

14.1 - A equipe será responsável pelas atitudes de seu(s) mecânico(s) e auxiliar(es), podendo tais atitudes acarretar as penalizações previstas no CDA.

 

Capítulo XIV - ACESSO A PISTA

 

Art. 15o - Somente pessoas autorizadas pela Organização da Prova poderão ter acesso à pista,devendo os demais permanecer na área dos boxes.

 

Capítulo XV - DO TEMPO DE PILOTAGEM

 

Art. 16o - Não haverá tempo máximo de pilotagem.

 

16.1 - A substituição de pilotos (quando houver), deverá ser efetuada na área dos boxes, sendo vedada em outros locais, inclusive na balança e na área de reabastecimento.

 

16.1.1 - A equipe que descumprir o item acima será punida com "Drive Through".

 

Capítulo XVI - DO PARQUE FECHADO/BOX

 

Art. 17o - Fica instituído o regime de "Parque Fechado" que vigorará por tempo determinado pelos Comissários Desportivos, antes do início da Tomada de Tempo até 30 (trinta) minutos após o término da prova.

 

17.1 - Antes da Tomada de Tempo será realizada vistoria técnica para o abastecimento de combustível e lacração de pneus.

 

17.2 - Após a realização da Tomada de Tempo será realizada vistoria técnica para controle de peso e lacres.

 

17.3 - Ao término da prova será efetuada uma última vistoria técnica.

 

17.4 - O kart que entrar na área do Parque Fechado/Box deverá ter seu motor desligado na linha de demarcação de entrada da balança, permanecendo desligado até a linha de
demarcação de saída para a pista.

 

17.5 - O piloto deverá permanecer sentado em posição de corrida no transporte do kart na área de boxes.

 

17.6 - Todas as vezes que um kart entrar no Parque Fechado/Box será obrigatório a pesagem,exceto no caso de cumprimento das punições previstas neste regulamento.

 

17.6.1 - O Time que descumprir este item será punido com "Drive Through".

 

17.7 - Somente serão permitidos três auxiliares para empurrar o kart na área dos boxes, com motor desligado.

 

17.7.1 - O Time que descumprir este item sofrerá penalização com "Drive Through".

 

Capítulo XVII - DAS PARADAS OBRIGATÓRIAS

 

Art. 18o - Cada equipe deverá efetuar, durante a prova, 3 (três) paradas obrigatórias de 5 (cinco) minutos e uma parada obrigatória de 15 (quinze) minutos.

 

18.1 - Serão consideradas para efeito do presente artigo, às 4 (quatro) paradas de cada kart por qualquer motivo, inclusive para reabastecimento e/ou troca de piloto, exceto nos casos de cumprimento de punições.

 

18.1.1 - As paradas previstas neste item poderão ser efetuadas a partir da 1a (primeira)
volta até antes de atingido o tempo de 5h20m00s (cinco horas e vinte minutos e zero
segundos) contados a partir do início da prova.

 

18.1.2 - A equipe que deixar de efetuar as paradas obrigatórias no tempo previsto no
item anterior será punida com "Drive Through".

 

18.2 - A aferição das paradas obrigatórias será feita pela passagem apurada pelo sistema de cronometragem.

 

18.3 - O kart que não cumprir as paradas obrigatórias será punido com "Time Penalty" com aprova em andamento.

 

18.3.1 - O "Time Penalty" previsto neste item, será calculado pelo dobro do tempo
faltante para o complemento de 5 (cinco) ou 15 (quinze) minutos de cada parada.

 

18.3.2 - Em caso de cumprimento de "Time Penalty" ou "Drive Through", inclusive o
previsto neste artigo, o kart não estará sujeito à pesagem.

 

18.4 - O kart que, ao final da prova não tiver cumprido as paradas obrigatórias e, deixar de cumprir o "Time Penalty" previsto no item anterior, será penalizado com 2 (duas) voltas por minuto ou fração do tempo faltante para complemento dos 5 (cinco) ou 15 (quinze) minutos de cada parada.

 

Capítulo XVIII - DO DRIVE THROUGH E DO TIME PENALTY

 

Art. 19o - A penalização por "Drive Through" será efetuada pela passagem pelos boxes com o motor desligado.

 

19.1 - No caso de "Drive Through" o kart não deverá ser pesado, não poderá receber qualquer tipo de manutenção e não estará sujeito à permanência mínima de 5 (cinco) ou 15 (quinze) minutos nos boxes.

 

Art. 20o - A penalização por "Time Penalty" será cumprida com a passagem pelos boxes com motor desligado e parada na saída dos boxes pelo tempo previsto na penalização.

 

20.1 - O tempo de cumprimento por "Time Penalty" será controlado pelo fiscal de boxes e o retorno à pista somente poderá ocorrer após sua autorização.

 

20.2 - No caso de "Time Penalty" o kart não deverá ser pesado, não poderá receber qualquer tipo de manutenção e não estará sujeito à permanência mínima de 5 (cinco) ou 15 (quinze) minutos nos boxes.

 

Capítulo XIX - DO ABASTECIMENTO E REABASTECIMENTO

 

Art. 21o - O abastecimento e o reabastecimento dos karts para a Tomada de Tempo e a Prova deverão ser realizados exclusivamente em local determinado e com combustível fornecido pela organização.

 

21.1 - Quando do abastecimento ou reabastecimento de combustível, o motor do kart deverá estar desligado.

 

21.2 - Quando do abastecimento de combustível o tanque de combustível deverá estar vazio e livre de qualquer resíduo sólido, líquido ou gel.

 

21.3 - Quando do reabastecimento de combustível o tanque somente poderá ser "aberto" no Parque de Abastecimento e este somente poderá ser feito durante a prova.

21.4 - O reabastecimento poderá ser realizado a partir da primeira volta e durante toda a
prova.

 

21.5 - Durante o reabastecimento o piloto deverá permanecer fora do kart até que sua
entrada seja liberada pelo fiscal.


Capítulo XX - DA PARALISAÇÃO DA PROVA

 

Art. 22o - A prova poderá ser paralisada pelo Diretor de Prova em função de acidente, remoção de kart, bloqueio de pista ou outra situação de segurança, sendo apresentada no PSDP e todos os postos de sinalização a bandeira vermelha.

 

22.1 - No caso de paralisação da prova os boxes estarão fechados, sendo apresentada uma placa de BOX FECHADO.

 

22.2 - Durante o período de paralisação da prova o tempo será paralisado.

 

22.3 - O kart que entrar nos boxes durante a apresentação da placa BOX FECHADO poderá retornar à pista mesmo com a apresentação da placa, mas receberá penalização de "TimePenalty" de 1 (um) minuto que deverá ser cumprido após o término da paralisação.

 

22.4 - No caso de paralisação os karts deverão ser agrupados na reta principal, em regime de Parque Fechado, aonde permanecerão até que seja autorizado o reinício da prova, não sendo permitida qualquer manutenção ou reabastecimento.

 

22.5 - O reinício da participação do kart na competição deve ser feito no mesmo estado em que entrou no Parque Fechado.

 

22.6 - No caso de haver necessidade de manutenção no kart, esta somente poderá ser feita após a relargada da prova.

 

22.7 - A prova será reiniciada na ordem de classificação da volta anterior à paralisação,
completando-se o restante de tempo previsto no Regulamento.

22.8 - Em caso de chuva, devidamente sinalizado pela direção de prova, todos os participantes deverão se dirigir aos boxes para colocação de filtro.

 

22.9 - No caso da não observância da sinalização acima, o infrator deverá arcar com eventuais despesas com desgaste ou quebra do motor, nos termos previstos neste regulamento.

 

22.10 - Com o uso dos pneus de chuva fica obrigatório o uso do filtro de chuva.

 

22.11 - Caso o item acima seja descumprido, o kart será chamado imediatamente aos boxes para que o filtro de chuva seja colocado.

 

22.12 - Mesmo que não tenha sido completado 75% (setenta e cinco por cento) do previsto para a prova, caso o motivo da interrupção da prova seja superior a 1 (uma) hora, a mesma
será encerrada.

 

22.13 - Não caberá recurso contra a decisão de interrupção ou encerramento da prova.

 

Capítulo XXI - DOS REPAROS MECÂNICOS DURANTE O EVENTO

 

Art. 23o - Todo reparo mecânico do kart durante prova deverá ser feito na área frontal dos boxes (pitlane).

 

23.1 - Será terminantemente proibido qualquer tipo de manutenção no interior dos boxes.

 

23.2 - O kart que for reparado, durante a prova fora dos boxes, incluindo a pista, será punido com um "Drive Through".

 

23.3 - Em caso de quebra, acidente, pane seca de combustível ou qualquer outro motivo que impeça o piloto de trazer por meios próprios o kart para os boxes, o Chefe do Time deverá comunicar o fato ao Diretor de Prova que, em comum acordo com os Comissários Desportivos, adotará as medidas necessárias para a remoção do kart avariado da pista, inclusive permitindo a entrada de auxiliar na pista.

 

23.4 - Na situação prevista no item anterior, o kart poderá ser reparado e retornar à prova.

 

23.5 - Será permitida manutenção na pista efetuada apenas pelo próprio piloto, sem ajuda externa.

 

23.6 - Nos boxes poderão ser realizados todos os tipos de reparos mecânicos e substituição de peças/partes.

 

23.7 - O chassi poderá ser trocado apenas quando permitido pelo Comissário Técnico.

 

 

 

 

Capítulo XXII - DO PESO DOS PARTICIPANTES

 

Art. 24o - O peso mínimo obrigatório será de 205 kg (duzentos e cinco quilogramas) para o conjunto kart/piloto em ordem de marcha.

 

24.1 - O peso do kart poderá ser verificado a qualquer momento por determinação dos
Comissários Desportivos e/ou Comissário Técnico.

 

24.2 - Toda vez que o kart entrar nos boxes durante a prova, por qualquer motivo, exceto punições deverá primeiro passar pela balança para verificação do peso.

 

24.2.1 - O não cumprimento implicará em penalização de "Drive Through".

 

24.3 - É obrigatória a pesagem do kart ao final da Tomada de Tempo.

 

24.3.1 - O não cumprimento desta regra implicará em desclassificação do Time na
Tomada de Tempo.

 

24.4 - A falta de peso verificada ao final da Tomada de Tempo implicará na desclassificação do mesmo devendo o concorrente alinhar para a largada, na forma prevista no CDA.

 

24.5 - Caso haja necessidade de colocação de lastro para completar o peso do conjunto
kart/piloto, o mesmo deverá ser fixado em local apropriado.

24.6 - Caso o conjunto kart/piloto não alcance o peso mínimo durante a prova sofrerá as
seguintes penalizações:

 

a) Falta de peso até 2.000 (dois mil) gramas – penalização de "Drive Through";

 

b) Falta de peso acima de 2.000 (dois mil) gramas – penalização de "Time Penalty" de um minuto parado na saída dos boxes para cada 1.000 (mil) gramas ou fração
excedentes as primeiras 2.000 (dois mil) gramas;

 

24.7 - Caso o conjunto kart/piloto não alcance o peso mínimo ao final da prova sofrerá as seguintes penalizações:

a) Falta de peso até 2.000 (dois mil) gramas – perda de 3 (três) voltas na classificação
final;

b) Falta de peso acima de 2.000 (dois mil) gramas – perda de 3 (três) voltas mais 1 (uma) volta para cada 1.000 (mil) gramas ou fração excedente, na classificação final.

 

24.8 - Caso um kart esteja com mais de 5.000 (cinco mil) gramas abaixo do peso mínimo e auxiliar outro kart na pista durante a corrida, ambos sofrerão a mesma penalização prevista nos artigos 24.6 e 24.7.

 

24.9 - A constatação de lastro solto acarretará na imediata exclusão do Time da Tomada de Tempos ou da Prova.

 

Capítulo XXIII - DOS PNEUS

 

Art. 25o - Deverão ser usados pneus novos, homologados e de selo Vermelho, para pista seca, fornecidos pela organização.

 

25.1 - Os pneus utilizados na Tomada de Tempo e Prova deverão ser lacrados, sendo permitida a lacração de 2 (dois) jogos novos para pista seca.

 

25.2 - O Time que utilizar pneus de pista seca sem lacre e/ou fora destas especificações será desclassificado da prova.

 

Capítulo XXIV - DOS CHASSIS E CARENAGEM

 

Art. 26o - Poderá ser utilizado, independentemente ao ano de fabricação, chassi de qualquer marca desde que tenha homologação da CBA e/ou CIK/FIA e atenda aos requisitos de segurança exigidos para participação na prova, a critério do Comissário Técnico.

 

26.1 - Da decisão do Comissário Técnico em não permitir a participação de kart nos termos do Caput deste artigo não caberá recurso.

 

26.2 - O chassi não poderá sofrer qualquer tipo de alteração em sua estrutura, salvo as
necessárias para fixação do motor, carenagens, suporte de peso, tanque de combustível e
para-choque de proteção das rodas traseiras.

 

26.3 - O chassi que participar dos Warm-up’s só poderá ser substituído conforme item 3.7deste Regulamento e na situação prevista no capítulo "Dos Portadores de Necessidades Especiais".

 

26.4 - São permitidos os seguintes ajustes:

 

a) Posição do banco, pedaleira e coluna de direção;

b) Bitola dos eixos dianteiro e traseiro e barra de torção;

c) Cáster, camber, divergência e convergência das rodas.

 

26.5 - É permitida a instalação de sobre banco ou capas adicionais, para ajuste da posição de pilotagem, devendo ser fixado através de parafuso e porca ou de "engate-rápido" e aprovados durante a vistoria técnica.

 

26.6 - Será obrigatória a utilização de carenagem aprovada pela Organização do Evento, novas ou em boas condições de uso o qual ficará a critério da Direção de Prova avaliar o eu estado. As alterações aceitas serão:

a) Furação do tanque de combustível;

b) Corte para colocação do motor;

c) Furação para mangueira do filtro de ar;

d) Instalação interna de chapa lateral em alumínio, na parte traseira, com altura máxima de 15cm (quinze centímetros) partindo do limite inferior da carenagem, que poderá ser fixada por arrebites;

e) Instalação interna de chapa em alumínio na parte frontal, com altura máxima de 15cm (quinze centímetros) partindo do limite inferior da carenagem, que poderá ser fixada por arrebites;

f) Instalação de faixa de borracha com altura máxima de 10cm (dez centímetros) na parte dianteira, partindo do limite inferior da carenagem;

g) Preenchimento com poliuretano da parte interna frontal da carenagem;

h) Reforço do ponto de fixação do encaixe da barra vertical traseira, através de chapa de alumínio.

 

26.7 - É proibida qualquer modificação externa na carenagem, exceto furação com cantos arredondados para colocação do filtro de ar na medida máxima de 13cm (treze centímetros) por 7,5cm (sete centímetros e meio), da corda com medida máxima de 20cm (vinte centímetros) por 15cm (quinze centímetros) e na parte traseira, até o limite do retângulo marcado na carenagem.

 

26.8 - São proibidas, ainda, quaisquer modificações que venham alterar aerodinamicamente a carenagem, inclusive com a colocação de acessórios.

 

26.9 - É obrigatória a instalação de pára-choque traseiro com largura mínima de 1300mm (mil e trezentos milímetros) e máxima de 1380mm (mil trezentos e oitenta milímetros).

 

26.10 - Será permitido o uso de câmeras apenas nas gravatas e carenagens dos karts. Caso não seja cumprida essa determinação, a equipe será chamada aos boxes para retirada da câmera.

 

Capítulo XXV - DOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

 

Art. 27o - Para a participação de Portadores de Necessidades Especiais, fica permitida a adaptação do kart às suas necessidades.

27.1 - O Time que tiver na sua formação a presença de Portador de Necessidades Especiais poderá utilizar tantos chassis quanto forem os Portadores de Necessidades do Time.

 

27.2 - Todos os karts dos Portadores de Necessidades Especiais deverão ser submetidos a todas as demais exigências previstas neste Regulamento, inclusive no que se referem ao motor, pneus e peso.

 

27.3 - A substituição de pilotos em que envolva Portadores de Necessidades Especiais durante a prova deverá ocorrer no Parque Fechado com o piloto que for substituir devendo permanecer ao lado de seu kart somente podendo sentar e ser empurrado após a total parada do kart a ser substituído.

 

 

 

 

Capítulo XXVI - DOS MOTORES E TRANSMISSÃO


Art. 28o - O motor utilizado nos Warm-Up, Tomada de Tempo e Prova será da marca Honda, modeloGX390 do tipo monocilíndrico à gasolina, refrigerado a ar, com partida de acionamento por corda,com carburador, filtro de ar, bomba de combustível, escapamento e filtro de chuva, e que serão fornecidos pela preparadora de motores RBC.

 

28.1 - Não serão fornecidas embreagem e mesa.

 

28.2 - A distribuição do conjunto especificado no Capítulo deste artigo será efetuada pela Organização do Evento por meio de sorteio, em data e horário conforme cronograma estabelecido neste regulamento, através do sistema de globo giratório.

 

28.2.1 - Não será aceito em hipótese alguma a recusa do motor sorteado.

 

28.2.2 - O Time será responsável pelo motor e seus acessórios desde o momento em
que recebê-lo até sua devolução que deverá ocorrer ao final da prova.

 

28.2.3 - Será de responsabilidade do piloto responsável pelo Time, devidamente
identificado na ficha de inscrição, a quebra do motor por danos externos causados por
qualquer incidente, uso inapropriado ou pela aceleração em cavalete, devendo o
mesmo ressarcir integralmente a organização.

 

28.2.3.1 - O piloto deverá pagar as peças danificadas no ato da devolução ou troca
do motor, escapamento ou filtro de chuva, pelo preço da tabela do fabricante.

 

28.2.3.2 - A não liquidação do pagamento dos danos nos termos acima, sujeitará
os pilotos participantes do time as penalizações previstas no item 130.4 do CDA.

 

28.3 - O motor ou escapamento, somente poderá ser trocado com a permissão do Comissário Técnico, em casos de quebra ou por algum defeito que não possa ser reparado no local.

 

28.3.1 - No caso acima a troca deverá ocorrer imediatamente após sua identificação,
observando a condição de retirada de um motor/escapamento e com a devida
devolução do item avariado.

 

28.4 - O Time poderá, a seu critério, solicitar a troca do motor mediante o pagamento de uma taxa adicional de R$ 400,00 (quatrocentos reais), que estarão sujeitas à disponibilidade de motores.

 

28.4.1 - Na situação acima a troca será penalizada com a perda de 10 (dez) posições do
Grid de Largada.

 

28.5 - Os motores devolvidos sem justificativa retornarão para o globo para novos sorteios após todos os motores do fornecedor tiverem sidos sorteados. Os motores que apresentarem problemas identificados pelo Comissário Técnico estarão fora de sorteios posteriores.

 

Art. 29o - O conjunto pinhão/embreagem será de 13 (treze) dentes com patins de aço e respeitando seus diâmetros originais (centrífuga – miolo interno maciço não aliviado com 93/98mm e peso1200/1100g) sem retrabalho, coroa de 42 (quarenta e dois) dentes e corrente de passo 428(motocicleta).

 

29.1 - Será permitida utilização de solda na capa da embreagem no eixo.

 

29.2 - Será permitida a limpeza da embreagem com uso de produtos químicos e lixa fina semque esta danifique o formato original com ranhuras e/ou cortes.

 

29.3 - O Time que descumprir este item será excluído ou desclassificado da prova.

 

29.4 - Em caso de chuva, devidamente sinalizado pela direção de prova, todos os participantes deverão se dirigir aos boxes para colocação de filtro.

 

29.4.1 - No caso da não observância da sinalização acima, o infrator deverá arcar com
eventuais despesas com desgaste ou quebra do motor, nos termos previstos neste
regulamento.

 

29.4.2 - Com o uso dos pneus de chuva fica obrigatório o uso do filtro de chuva.

 

29.4.3 - Caso o item acima seja descumprido, o kart será chamado imediatamente aos
boxes para que o filtro de chuva seja colocado.

 

Capítulo XXVII - DAS PENALIZAÇÕES

 

Art. 30o - Além das penalizações previstas neste Regulamento, no RNK e no CDA, serão aplicadas as seguintes:

 

a) Corte de pista: penalização de "Drive Through";

b) Atitude Anti-desportiva: advertência, penalização de "Drive Through" ou penalização
de "Drive Through" acrescida de 2 (dois) minutos parados na saída dos boxes, conforme a gravidade e reincidência da atitude anti-desportiva;

c) Receber auxílio junto à plataforma de pesagem ou em toda a área de pesagem: penalização de "Drive Through";

d) Entrar na área de pesagem com o motor ligado: penalização de "Drive Through";

e) Desrespeito à sinalização de Parque Fechado: penalização de "Drive Through";

f) Invasão de pista por pessoas ligadas ao Time sem autorização: penalização de "Drive
Through";

g) Percorrer em sentido contrário na área do Parque Fechado sem autorização da
Direção de prova: penalização de "Drive Through";

h) Entrada na pista com carrinho sem autorização da direção de prova: penalização de"Drive Through";

i) Mais de 3 (três) pessoas empurrando o kart: penalização de "Drive Through";

j) Ultrapassagem sob bandeira amarela durante neutralização: penalização de "Drive
Through" acrescida de 2 (dois) minutos parados na saída dos boxes (caso não devolva a
posição);

k) O Time que adotar atitude anti-desportiva ou comportamento agressivo por seus
pilotos, mecânicos e auxiliares poderá ser desclassificada da prova.

 

30.1 - Todas as penalizações serão cumpridas com a prova em andamento, não sendo
permitido o cumprimento com a prova paralisada.

 

30.2 - Qualquer infração cometida pelo Time, cuja penalização não esteja prevista neste
regulamento, será analisada pelos Comissários Desportivos, para aplicação.

 

30.2.1 - Caso o infrator não seja o piloto, as penalizações em multa serão aplicadas,
proporcionalmente a todos os pilotos integrantes do Time.

 

Capítulo XXVIII - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

 

Art. 31o - Os casos omissos ou não previstos neste Regulamento serão decididos pelos Comissários Desportivos durante a prova e pelo Presidente da FADF após a prova.

 

Art. 32o - Ao assinar a Ficha de Inscrição de cada prova, o piloto estará ciente que cumprirá fielmente todos os termos do Código Desportivo do Automobilismo – CDA, do Regulamento Nacional de Kart– RNK e do Regulamento Particular, se comprometendo a não recorrer, aos Poderes Públicos, de qualquer decisão tomada, mas unicamente aos Poderes Desportivos, em qualquer hipótese que ocorrer.

 

Art. 33o - A CBA, FADF, KRC, Organizadores, Patrocinadores e Administração do Autódromo, eximem-se, por si, como pelos seus Órgãos Auxiliares, de toda e qualquer responsabilidade civil e/ou penal e/ou administrativa, decorrente de infrações ou acidentes ocorridos durante os treinos,tomadas de tempo, provas ou outras atividades durante o evento, recaindo essa responsabilidade exclusivamente naquele que deu causa ao fato, ao que o piloto concorrente ou seu responsável adere no ato da assinatura de cada inscrição.

 

Art. 34o - Fica liberada a utilização de rádio comunicador entre piloto e boxes.

 

Art. 35o - Tudo aquilo que não estiver especificamente permitido neste regulamento, será

expressamente proibido, sendo que todos os itens omissos neste regulamento deverão encontrar-se nas suas características originais.

 

Art. 36o - Os sensores de cronometragem são de propriedade da FADF, sendo obrigatória sua devolução, em qualquer situação.

 

Art. 37o - O Time que não proceder à devolução do sensor de cronometragem ao término do Treino Classificatório ou da Prova terá que ressarcir o valor de R$ 1.000,00 (mil reais) à FADF.

 

37.1 - A não devolução do sensor acarretará penalização nos termos previstos no CDA a todos os pilotos integrantes do Time.