Tour virtual

Conheça as curvas mais famosas da nossa pista.

A pista do Ferrari Kart possui diversos traçados, que são modificados todos os meses para tornar as corridas mais competitivas.

No entanto, algumas curvas são bastante conhecidas por suas características e técnicas de pilotagem únicas, e que eventualmente aparecem em traçados alternativos.

O harpin é uma curva em "U" em que o ponto de frenagem e o ângulo de ataque fazem toda a diferença para um tempo de volta perfeito. Ela também é um dos melhores pontos de ultrapassagem do circuito.

O traçado ideal pode mudar dependendo da sequencia de curvas que segue, de acordo com o traçado do mês. O mais importante nessa curva é saber o momento de voltar a acelerar para não espalhar e nem contornar lento demais.

Localizada bem em frente ao Bartódromo, é o principal ponto onde o público consegue ver as corridas e os pilotos têm a chance de ver sua torcida te apoiando.

Apesar de também ser em "U", é uma curva de ápice tardio, e que precisa ser bem contornada para não prejudicar a tomada da curva seguinte.

O poste e a sua curva seguinte, o quadrado, formam um dos pontos mais técnicos do circuito e precisa ser executado com perfeição, sob o risco de entrar lento na reta principal.

É mais uma curva de ápice tardio, com frenagem forte e também um excelente ponto de ultrapassagem. Como existe uma outra curva para a direita logo na sua saída, é necessário contornar o poste e já posicionar o kart para a tomada do quadrado. Fazer este trecho em alta velocidade pode prejudicar sua volta, portanto é necessário sabedoria para executar a manobra.

O "quadrado" são duas curvas de 90 graus que antecedem a reta dos boxes. O ângulo de ataque para a primeira curva é totalmente dependente da saída do Poste, e ela vai ditar o momento em que você pode voltar a acelerar. Fazer o quadrado de forma lenta prejudicará toda a sua velocidade de reta e aumentará substancialmente o seu tempo de volta.

Por outro lado, se for feita com muita velocidade, há a tendência do kart escapar demais e também prejudicar o início da aceleração.

A curva "um", assim chamada por ser a primeira curva após a largada (no sentido horário), exige uma frenagem forte em alta velocidade (próximo de 80 km/h nos karts de 17hp) para uma curva aberta de 120 graus. Apesar da bela visão do Estádio Nacional de Brasília, dificilmente o piloto conseguirá contemplar o visual, pois um erro nesta curva pode significar um grave acidente.

O bacião é uma curva aberta, de 180 graus, que é contornada em alta velocidade, gerando bastante força G no piloto. Apesar de ser veloz, também precisa ser dosada, pois há a tendência de escapar da linha ideal.

Por anteceder um longo trecho de reta (apesar da chicane), também é importante saber acelerar no momento certo para fazer um bom tempo de volta

Quer aprender mais?

Conheça a escola de pilotagem do piloto André Martinho e agende sua aula.